The only real voyage of discovery consists not in seeking new landscapes, but in having new eyes. Marcel Proust


sábado, 26 de abril de 2014

Sala São Paulo entre o Luxo e a Cracolândia



Fotos minhas, menos a do meio

Estava eu num dos balcões da Sala São Paulo, primeira vez que vou lá. Esperando pelo concerto de sábado. Ele começa e logo me ocorre que esse mundo de dentro da Sala SP não conversa com mundo de fora. Lá do outro lado da rua uma multidão de gente vive como cães a mercê dos seus desejos e dos traficantes que lhes alimentam com drogas que lhes impedem de sair dali, porque ali tem o que lhes alimenta. Há muitos policiais no local, mais do que em qualquer lugar da cidade. Tive que passar por ali para ir no Sesc Bom Retiro e fiquei pensando como seria o retorno tarde da noite, mas chovia e já não havia mais ninguém na rua, além das viaturas da polícia.

Antigamente nobres, reis e ricos ficavam na parte mais alta do teatro: frisas, camarotes, mezanino e o povão ficava em frente ao palco. Hoje o espaço em frente ao palco é destinado a convidados, vips e quem paga mais pelo ingresso. Os papeis se inverteram. Mas a sensação de isolamento continua.

Um mundo de luxo e glamour, falso é bem verdade, onde toma-se champanhe e desfila-se os longos embolorados, em contraste a um mundo chocante. Vendo an passant me pareceu que o povo de fora se divertia mais que o povo de dentro. Não tive coragem de fotografar a Cracolândia.


Nenhum comentário: